sexta-feira, 15 de julho de 2016

ENTÃO EU ASSISTI... A LENDA DE TARZAN


A Lenda de Tarzan
Lançamento: 21/07/2016 (1h 50min)
ElencoAlexander Skarsgård, Christoph Waltz, Margot Robbie, Samuel L. Jackson, Djimon Hounso.
Diretor: David Yates
Distribuidora: Warner Bros. 

Nota★★★★

Em A Lenda De Tarzan o Rei das Selvas volta 8 anos após sair da África para o mundo civilizado onde ele se tornar John Clayton III e faz parte da sociedade londrina, ao lado de sua amada, e então esposa, Jane. No filme ele retorna à selva para investigar um suspeito esquema de escravidão dos povos nativos pelo rei da Bélgica e onde sua amada é sequestrada pelo vilão Leon Rom que pretende atrai-lo e troca-lo por diamantes com o chefe da tribo Mbonga (Djimon Hounso), que quer vingança pela morte de um ente querido.



A Lenda de Tarzan foi criada por Edgar Rice Burroughs em meados do século XIX, e sua primeira adaptação para as telonas aconteceu em 1918 e na época dirigido por Scott Sidney e estrelado por Elmo Lincoln e Enid Markey. Quase um século depois, e depois de tomar o imaginário de várias pessoas no mundo, Tarzan (Alexander Skarsgård) volta sob a direção de David Yates (Harry Potter e Animais Fantásticos), agora como John Clayton III, vivendo uma vida “normal” na sociedade ao qual pertencia.





Bem, isso é uma coisa que o John acha. Logo no começo do filme fica muito claro que o Tarzan não quer voltar para África, e é como se ele quisesse esquecer a vida dura que teve no passado, que vemos a partir de flashbacks durante quase todo o filme. Foi uma das coisas que gostei, e ao mesmo tempo não gostei no filme. Primeiramente devo confessar que o diretor soube explorar esses detalhes do passado com uma delicadeza, que chega até ser um pouco emocionante, é como se sentíssemos o que o Tarzan estava sentindo naquele momento, pois memórias são apresentadas com o mesmo “sentimento” que o Tarzan está sentindo na hora. O que achei muito bom, principalmente para entender o personagem, que não é muito de falar, porém, no final fiquei com o sentimento de que ficou faltando pedaços da história do passado dele, para o compreendermos melhor (e seu passado também), e embora eu entenda que o filme não queria “perder tempo” com o passado, a história que todos já conheciam, sai com o sentimento que ficou faltando algo.




Eu gostei bastante da Jane da Margot Robbie, com toda a seu espírito de rebeldia e língua afiada, tentando fugir do estereótipo “donzela em perigo” (embora essa seja sua função no filme), só deveria ser uma personagem mais explorada, pois ela passa a maior parte do mesmo acorrentada. Suas maiores interações são com o vilão Leon Rom (Christoph Waltz), que é aquele tipo de vilão que sabe aproveitar das oportunidades que aparecem.




Outro personagem que eu queria ver mais é o George Washington Williams interpretado pelo Samuel L. Jackson, que foi uma boa surpresa, com toda sua “personalidade Americana” e dá um tom de comédia ao filme, porém colocar um monstro do cinema em um filme como esse e não o explorar ao máximo chega até a ser um pecado.



Com um visual incrível, e uma trilha sonora que deixa você imerso naquele mundo A Lenda de Tarzan nos apresenta a lenda sob uma nova perspectiva, com imagens aéreas muito bonitas e efeitos especiais de qualidade, sem exageros. Vale a pena assistir em uma Sala IMAX, que tende a deixar você com aquela sensação de estar dentro da cena (imagina isso com o Skarsgård ali pertinho sem camisa e todo maravilhoso! UI!). Recomendadíssimo, um filme para assistir com a família e as amigas e ter aquela diversão no final da tarde.
Excelente escolha para as férias!



Quer saber mais? Confira o Trailer:







Back
to top