terça-feira, 13 de outubro de 2015

[RESENHA] OUTLANDER - A VIAJANTE DO TEMPO

Livro: A Viajante do Tempo
Série: Outlander #1
Autora: Diana Gabaldon
Editora: Saída de Emergência Brasil


Resumo:
Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros. Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie Fraser, um jovem guerreiro escocês, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente? 

Resenha
A história da série começa em Inverness, no ano de 1945, onde Claire Randall viajou em uma segunda lua de mel com o marido, Frank Randall. Em uma noite, os dois presenciam um ritual antigo em um círculo de pedras chamado Craigh na Dun e ambos voltam empolgados para casa, porém Claire não consegue esquecer daquele lugar e retorna ao círculo de pedras. Ao encostar em uma das pedras, ela é transportada 200 anos antes do seu tempo, onde os escoceses estão praticamente em guerra com os ingleses. Neste novo tempo, ela tem de lidar com os costumes, com a desconfiança das pessoas, afinal ela é uma Sassenach (estrangeira), e também com um novo amor.

Vou ser sincera: só conheci esta série depois de ganhar o segundo volume, A Libélula no Âmbar, de cortesia do Skoob. Só depois de um tempo, consegui o primeiro volume, A Viajante do Tempo. Eu sempre quis ler uma história em que o protagonista viajasse no tempo, e este livro me proporcionou isso. Claire é aquele tipo de protagonista que "mostra para que veio". Ela é forte, determinada, luta pelo que acredita e não permite que nenhum homem venha pisar nela. Até ela conhecer Jamie Fraser. Jamie é aquele herói que sofre bastante, mas não deixa de se erguer e ir à luta. E faz de tudo pela Claire, ao ponto de abrir mão de sua vida por ela. Vale destacar também o Jack Randall, antepassado do ex-marido da Claire, Frank, e o próprio demônio em pessoa. 

O livro é todo narrado pela Claire, e muito bem escrito por sinal, apesar de não ter destacado um pouco mais o gaélico, idioma dos escoceses da época. Há algumas referências da Claire em relação a seu tempo que devem ser observadas. E o destaque maior do livro, com toda a certeza, é o Jamie. Apesar das 800 páginas, A Viajante do Tempo tem tudo aquilo que é necessário em uma boa história: personagens bem construídos, um quê de magia e mistério, muita química entre Claire e Jamie, o contexto histórico bem trabalhado e alguns conflitos morais e políticos. A maneira como os personagens principais se provocam nos mais inusitados momentos levaram algumas boas risadas minhas, bem como alguns suspiros em certas partes. Um grande livro (literalmente) que super recomendo para quem quiser viajar no tempo.
Back
to top