segunda-feira, 27 de abril de 2015

[RESENHA] TERRA DE HISTÓRIAS: O FEITIÇO DO DESEJO


Livro: Terra de Histórias: O feitiço do desejo;
Autor: Chris Colfer;
Editora: Benvirá;



Resumo:

Os irmãos gêmeos Alex e Conner estão vivendo os piores dias de suas vidas. Para tentar alegrá-los, no aniversário de 12 anos, a avó os presenteia com o antigo livro de histórias que o pai costumava ler para eles, quando crianças, antes de dormir. E a magia volta a tomar conta da vida dos dois - de verdade! Assim como Alice chegou ao País das Maravilhas após cair num buraco do coelho, Alex e Conner são sugados pelo livro e vão parar dentro do mundo dos contos de fadas. Lá, descobrem o que aconteceu com os personagens após o "E foram felizes para sempre!". Cachinhos Dourados, por exemplo, é uma fugitiva, Chapeuzinho Vermelho tem seu próprio reino e Cinderela, agora rainha, está prestes a se tornar mãe. Mesmo em meio a tantas surpresas, os gêmeos não têm tempo a perder: precisam voltar para casa antes que o livro se feche e a mãe dê queixa do desaparecimento deles. Para que o Feitiço do Desejo se cumpra, Alex e Conner têm de desvendar as pistas deixadas em um diário. Eles só não podiam imaginar que mais alguém estava no rastro e faria de tudo para atravessar para o mundo real no lugar deles: a Rainha Diabólica.


Resenha:

Não sei todos, mas eu sempre tive uma certa curiosidade para saber sobre o que vinha depois do “Felizes para sempre”, essa frase tão clichê, mas que enche muitas pessoas de suspiros e esperanças. E é justamente a proposta desse livro que, embora apresente um ar de infantilidade, seu conteúdo prova exatamente o contrário. Em Terra de Histórias: O feitiço do desejo, conhecemos a história dos irmãos Bailey, Alex e Conner. A vida destes muda drasticamente após a morte do pai. E é após uma visitada da avó em seu aniversário, e do recebimento de um livro que a história começa a tomar a forma desejada. Somos convidados a adentrar nos átrios dos contos de fadas e, como em todos do gênero, a magia toma o seu lugar de direito na imaginação do leitor.
   Os personagens desta história são tão marcantes quanto nas versões que sempre foram conhecidas pelas pessoas. Cinderela, Chapeuzinho Vermelho, Cachinhos Dourados. Na trama elas deixam todo o lado romantizado, para em diversos momentos, serem os suportes na busca de Alex e Conner pelo feitiço do desejo, a única forma dos irmãos saírem daquele lugar e voltarem para casa. É como se elas saíssem do estereótipo de esperarem ser salvas, para tornarem-se as respectivas salvadoras de toda uma história. Colfer através da personificação dos irmãos gêmeos, é capaz de causar no leitor tamanha densidade de sentimentos, que por mais que você não chore, seu coração consegue sentir-se um pouco dolorido em vários momentos da narrativa. Estendo-me dizendo que não só por conta dos gêmeos Bailey, mas de uma vasta gama de personagens. É perceptível esta afirmação, quando vemos um determinado trecho no qual Cachinhos Dourados, num dos seus momentos mais delicados, diz à João:

“Um floco de neve pode até se apaixonar por uma chama de fogo, mas ambos jamais poderão ficar juntos sem que um machuque o outro.”

   Os diálogos dessa obra são ricos, profundos. Como se não bastasse todos os mocinhos, eis que a vilã aparece. E até mesmo sendo odiada, e aparentemente a pessoa que quer destruir tudo, Evly, ou a Rainha Diabólica, tem em seu interior toda uma história obscurecida por seus crimes contra a enteada, Branca de Neve. Chris Colfer traz para o vilão desta história, sem dúvidas, a capacidade de mostrar-se não só como a pessoa que quer causar dor, como também, a pessoa que teve o próprio corpo e alma acometidos por atos injustos, amores tirados de si, vidas destruídas. Para mim, Evly é a personagem mais bem construída da obra, afirmo sob diversos aspectos. Sejam eles psicológicos, estéticos. Ela é um personagem que retrata como o ser humano é, com falhas, acertos, momentos para ser bom ou ruim.
   Terra de Histórias: O feitiço do desejo, foi um livro que eu comecei a ler por causa do seu autor, Chris Colfer, e que acabou arrebatando completamente o meu coração. É um livro dosado na medida certa, seja para o choro, para a risada, ou até mesmo para cosias bobas. É aquele tipo de história que você lê e vê um filme na mente, e acredite, eu esperarei por isso até o dia da minha morte. Apesar da aparência infantil, Terra de Histórias dá um passo à frente, ele nos traz evolução. Evolução seria a palavra que define este livro. Você nunca o terminará pensando como pensava antes, nem tampouco vendo os personagens da mesma maneira. Sinto que jamais me recuperarei do impacto que esse livro causou na minha vida. Ele ganha minha nota máxima, sem sombra de dúvidas. Chris Colfer é promissor naquilo que tentar na vida, e seus livros ainda vão trazer muita esperança para aqueles que o lêem. Bravo. Não é isso que dizem quando um espetáculo acaba? Pois bem, esse livro significou isso para mim.

“Uma coisa que eu aprendi na vida, é que você nunca vai poder agradar todo mundo. Na verdade, ainda estou aprendendo.” – Cinderela.

Feito por Felipe Leão
Back
to top