terça-feira, 13 de maio de 2014

[RESENHA] SILO



Livro: Silo
Autor: Hugh Howey
Editora: Íntriseca

Resumo: 
O que você faria se o mundo lá fora fosse fatal, se o ar que respira pudesse matá-lo? E se vivesse confinado em um lugar em que cada nascimento precisa ser precedido por uma morte, e uma escolha errada pode significar o fim de toda a humanidade?Essa é a história de Juliette. Esse é o mundo do Silo.
Em uma paisagem destruída e hostil, em um futuro ao qual poucos tiveram o azar de sobreviver, uma comunidade resiste, confinada em um gigantesco silo subterrâneo. Lá dentro, mulheres e homens vivem enclausurados, sob regulamentos estritos, cercados por segredos e mentiras.
Para continuar ali, eles precisam seguir as regras, mas há quem se recuse a fazer isso. Essas pessoas são as que ousam sonhar e ter esperança, e que contagiam os outros com seu otimismo.
Um crime cuja punição é simples e mortal.
Elas são levadas para o lado de fora.
Juliette é uma dessas pessoas.
E talvez seja a última.

Resenha:
Antes de começar a falar sobre esse livro, queria explicar que eu optei por uma resenha mais superficial porque praticamente tudo em "Silo" pode ser considerado spoiler, então omiti alguns personagens e informações que acho que devem ser descobertas durante a leitura.
"Silo" começou como um conto auto-publicado pelo autor Hugh Howey que cresceu em popularidade e fez com que o autor escrevesse outros quatro contos que acabam se juntando para formar o primeiro livro publicado aqui no Brasil pela Intrínseca.
A história do livro é simples: em um mundo distópico e pós-apocalíptico, a Humanidade sobrevive em um silo com centenas de andares subterrâneos (144), onde tudo é metodicamente racionado, havendo inclusive controle populacional e controle de natalidade. Qualquer um que entre em contato com o ar tóxico da superfície terrestre tem morte instantânea e isso serve como uma forma de controle. Se uma pessoa for condenada por algum crime ou se começar a questionar demais a vida dentro do silo, ela é logo mandada para a limpeza das câmeras e sensores externos, ou seja é condenada à morte do lado de fora.
Os moradores do silo se dividem em facções de acordo com seus empregos. Eles podem ser da mecânica, dos suprimentos, da TI e podem desempenhar funções como agentes da lei, portadores etc. A prefeita e o xerife são os responsáveis por manter a lei e a ordem e até então eles não tiveram muitos problemas: os moradores do silo parecem conformados em viver ali, quase todos nasceram no silo e não sabem como era a vida fora das escadas que dão para as profundezas.
O problema é que nem todos nós temos o gene da conformidade e alguns nascem com aquele bicho carpinteiro que nos cutuca até que um dia questionemos o por quê das coisas serem como são e é assim que conhecemos Holston, o xerife do silo, que há três anos perdeu a esposa para a limpeza. Por algum motivo, Holston acha que tudo que aprendeu no silo é mentira e ele precisa sair do silo para provar que é possível viver do lado de fora, muitos anos já se passaram!
Quando Holston sai do silo, o foco da história muda para o pessoal da mecânica: Juliette, Jahns e Marnes. A prefeita precisa de um novo xerife e Holston tinha indicado Juliette antes de deixar o silo. Acontece que o chefe da TI, Bernard, tinha certeza de que o nomeado seria Billings, seu braço direito, e não vai aceitar a nomeação de Jules assim tão fácil. A verdade é que Bernard vai fazer de tudo, inclusive jogar sujo para que Jules cometa algum deslize.
O que me incomodou no livro foi justamente o fato de ele ter sido um conto antes de ter virado um livro. As histórias obviamente se entrelaçam e fazem sentido, mas confesso que lutei muito nas primeiras páginas, criei empatia com os personagens e sentia que sempre que me simpatizava com alguém, ele era tirado de mim de maneira brusca e não muito bem fundamentada. Chegar à metade do livro foi custoso, até me apegar às personagens de Jules e Lukas demorou.
Mas da mesma forma que foi complicado chegar na metade, do meio pro final o livro me arrebatou completamente e eu não queria mais largar até entender exatamente o que estava se passando e começar a questionar todas as informações previamente passadas e o que afinal aconteceu com o mundo que fez com que o silo fosse construído e algumas pessoas escolhidas para sobreviver.
Posso dizer que estou super ansioso para terminar mais uma trilogia muito bem escrita, interessante e instigante!

Back
to top