quarta-feira, 14 de maio de 2014

[RESENHA] CONVERGENTE

Livro: Convergente
Série: Trilogia Divergente - Livro 03
Autora: Veronica Roth
Editora: Rocco

Resumo: A sociedade baseada em facções, na qual Tris Prior acreditara um dia, desmoronou – destruída pela violência e por disputas de poder, marcada pela perda e pela traição. No poderoso desfecho da trilogia Divergente, de Veronica Roth, a jovem será posta diante de novos desafios e mais uma vez obrigada a fazer escolhas que exigem coragem, fidelidade, sacrifício e amor.

Resenha:
Obs: Essa resenha não tem spoilers dos dois primeiros livros da série, Divergente e Insurgente.
“Convergente” era um livro mais do que esperado para mim, como super fã da série Divergente que sou, quando esse livro foi lançado, fiquei super ancioso para ler, fui a livraria mais próxima que tinha e abracei meu exemplar! Já tinha ouvido alguns spoilers sem querer de pessoas mal amadas que os escrevem bem grandes em comentários na página da editora no Facebook e aquilo não saía da minha cabeça, mas era ler para crer, ver se era verdade mesmo e como isso acontecia.

No final de Insurgente sabemos de uma grande notícia que muda todos os fatos sobre as facções, mas nem todo mundo gosta dela e como sempre, há rebeliões. A mãe de Quatro, Evelyn quer se tornar a próxima líder de Chicago e acabar de vez com o sistema de facções, enquanto se mantém bem longe dos problemas de fora da cidade, algo que a assusta e não lhe convém. Por outro lado, não são todos que estão sujeitos a ser subordinados a uma nova tirana e que acham que o sistema das facções deve ser destruído, eles acham apenas que ele tem que ser apenas um pouco modificado. Esse grupo contra o de Evelyn, dos que eram os sem-facção, são os Leais (que deram nome ao livro americano “Allegiant”). Uma revolução está para acontecer e para isso será necessário derramamento de muito sangue.

Tris, Quatro e seus amigos decidem se juntar aos Leais e ver o que tem fora dos limites da cidade e acabam por descobrir que tudo que sabem é completamente diferente da realidade que conhecem. Descobrem que ser divergente não é algo realmente ruim, e que a vida “normal” que procuram não existe de verdade. Há muito caos e confusão fora de Chicago, há muita pobreza e sofrimento na margem e há o Governo que trata pessoas diferentes dependendo do seu código genético (não posso falar muito mais sobre essa parte porque senão será spolier).

O livro é narrado por Tris e por Quatro, e nas partes dele, principalmente, conseguimos ver bem a evolução de seu personagem, algumas horas ele regrediu, se mostrou inseguro, infantil, teimoso, e em outras horas ele estava como o forte que foi sempre. Tris se manteve instável e heroína, e claro, suscetível a fazer escolhas erradas. Também podemos acompanhar Uriah e Christina em boa parte da estória, além de personagens novos que aparecem no decorrer do livro. A leitura do livro é bem fácil e o enredo vai nos ganhando pelo fator “curiosidade”, pois apesar da falta de ação em algumas horas, muita informação nova nos é passada.

O final da estória foi satisfatório, amei demais, a autora explicou direitinho como que tudo aconteceu, mas achei que foi tudo fácil demais na hora do desenrolar. Tanto tempo desenvolvendo um enredo e em algumas páginas o que era um grande problema é facilmente solucionado. Gostei do final que ela deu para alguns personagens, ela foi bem realista, mostrando a realidade, causada pelos seus atos e consequências de cada um. Apesar de alguns ter uns com o final "inesperado" e sem emoção. Mas enfim é apenas uma opinião pessoal, e acho que tem gente que vai me entender se já leu (e quando ler).

Esse livro é sobre escolhas, bravura, coragem, amizade, confiança, ética, valores morais e sacrifícios, e se você for fã da série, prepare seu coração para este final bombástico. Não me arrependo nem um pouco por ter acompanhado esta série.


Confira as resenhas dos livros anteriores:
Back
to top