quinta-feira, 24 de outubro de 2013

[ENTREVISTA] Entrevista com o nosso autor parceiro Renan Carvalho

Oi galera!!!
Hoje trago para vocês uma entrevista super legal com o autor parceiro do Cdl-PE Renan Carvalho, autor da trilogia distópica Supernova.
Infelizmente ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, mas todos que já puderam ler adoraram e estão recomendando muito!!!
Espero que vocês gostem da entrevista, o Renan é super legal e prestativo e é uma honra pra o Cdl-PE tê-lo como parceiro!



Um pouco sobre o autor por suas próprias palavras: "Sempre gostei de histórias fantásticas, sejam elas quadrinhos, filmes, videogames ou livros. Desde criança, me inspiro em tudo o que vejo para criar um mundo próprio. Era o garoto que escrevia mais de vinte páginas nas lições de redação e, às vezes, tirava zero por ter fugido do tema. Na adolescência, preenchia os cadernos da escola com desenhos e histórias malucas, material que guardo com carinho até hoje. Aliás, foi com base nele que tirei inspiração para meu primeiro livro.


Me formei em Marketing pela Universidade de São Paulo e trabalho com isso desde então. O curso me ajuda muito na vida de escritor, tanto no trabalho de divulgação, quanto na hora de escrever.

Digo que quando escrevo, costumo me desligar do mundo, é como uma terapia. Visito outros lugares, conheço outras pessoas. É a melhor forma de quebrar a rotina na qual, muitas vezes, estamos inseridos sem perceber."
Trecho retirado do site do autor

Confira a entrevista:
1. Quantos livros estão previsto para ter na série Supernova?
Três programados e um spin off na cabeça. Vamos ver :)

2. O que Leran tem em de você, e vice e versa? Como ele surgiu?
Nós não somos muito parecidos. O Leran é extrovertido, gosta de chamar atenção. Eu já sou um pouco mais tímido e 'na minha'. Mas é claro que algumas coisas ele absorve da minha personalidade, como a vontade de aprender, a busca em mudar as coisas que ele acha erradas, o desejo de proteger aqueles que gosta e um pouco da teimosia. Digo que todos os meus personagens são uma mistura de coisas minhas com características de diversas outras pessoas.

3. Como é sua rotina para escrever? Tem algum método, alguma disciplina, um horário determinado ou escreve quando surge oportunidade?
Quando escrevi o EdF eu estava muito mais disciplinado. Separava, pelo menos, uma hora por dia para escrever e acabei terminando o livro bem rápido. Agora, no segundo, meu tempo para escrever é muito mais escasso. Preciso conciliá-lo com o trabalho, com a divulgação do primeiro livro e com os eventos. A solução é aproveitar todo o espaço livre para fazer uma visita à história, senão as coisas se perdem. Meu celular acaba sendo o melhor amigo nessas horas.
4. O que o inspirou a escrever Supernova?
Supernova foi uma mistura entre cadernos velhos de RPG e todas as outras referências que minha vida me trouxe. Era nesse mundo que eu criava os meus personagens e depois passava horas junto a eles explorando cada cantinho.
Já a ideia do conflito de 'O Encantador de Flechas' surgiu em 2011, quando percebi o quanto nosso país é diferente de outros considerados de Primeiro Mundo. A falta de infra-estrutura, as pesadas taxas de impostos, a corrupção e os serviços públicos precários trazem o contexto sociocultural que inspirou Acigam. São essas as características que o personagem principal, Leran, tenta mudar em sua cidade.


5. As histórias “escrevem-se” sozinhas ou você pensa na trama inteira, seguindo depois um esquema previamente traçado?
Trabalho sempre com roteiros. Antes de começar a escrever, eu já tenho todos os principais fatos em um esquema. Os personagens, as relações entre eles, os principais conflitos. Tudo é pensado antes de escrever um só capítulo.

6. Como a literatura entrou em sua vida?
Desde criança gosto de histórias. Meus pais liam para eu dormir. Na adolescência comecei a escrever pequenos contos e aventuras de RPG. Quando me senti pronto, fui para o romance.

7. Quais seus projetos para 2014?
O principal deles é o lançamento da Estrela dos Mortos, o segundo volume da série Supernova. Tenho também um outro projeto em andamento, mas esse não posso revelar ainda :)

8. Como você se viu como escritor?
Acho que a pergunta seria quando eu me vi, pela primeira vez, como escritor. E por incrível que pareça, não foi na minha noite de lançamento, ou quando comecei a ter contato com leitores. Senti-me um escritor quando descobri que a primeira tiragem do meu livro estava esgotada na editora. Foi aí que veio a sensação de dever cumprido e pensei: "Estão gostando da minha história".

9. Quais são suas inspirações para escrever?Costumo dizer que tiro inspiração de tudo o que acontece a minha volta. Uma pessoa interessante que conheço, uma cena que presencio na rua. Essas coisas triviais, às vezes, escondem fatos muito interessantes que podem ser trabalhados em uma história. Além disso, uso, é claro, diversas outras obras de ficção para me inspirar, entre livros, filmes, animes e HQs.
10. Para quem está lendo está entrevista, queria deixar algum recado?
Queria convidar todos a conhecer um pouco mais sobre o meu trabalho. Basta acessar o meu site http://www.renancarvalho.net.br/ na parte debaixo tem os links para todas as minhas redes sociais. Tem ainda o trailer do livro: http://www.youtube.com/watch?v=BcxgooGL0BcEspero que gostem. Grande abraço.
Back
to top