sexta-feira, 12 de abril de 2013

[RESENHA] A INVASORA - A CONVOCAÇÃO

Livro: Invasora – A Convocação
Autora: J. S. Dalmolin

Sinopse:
 Sammy é apenas mais uma adolescente entre tantas, que enfrenta a difícil crise da separação dos pais. Ela achava que sua vida estava um verdadeiro caos, porém as coisas ficam ainda piores quando é atropelada e acorda no século XVI.
   No início, pensou estar sonhando, depois achou que estava enlouquecendo completamente, mas percebeu que nada teria importância se o amor que descobriu sentir por Ian fosse correspondido. Contudo, esse amor está fadado ao fim, ela terá de retornar ao seu tempo se quiser continuar vivendo.
   Um envolvente romance no qual as aparências enganam e o tempo também é um inimigo.






Resenha:
O livro conta a história de Sammantha (Sammy) uma adolescente de 16 anos enfrentando a crise da recém-separação de seus pais, ela sentia como se após a separação sua mãe já não fosse mais como antes e ela tivesse que cuidar da mãe e não mais o contrário.
Quando atendia a um pedido de sua mãe para levar uns documentos que ela havia esquecido para uma reunião importante, Sammy é atropelada por um caminhão e apesar de tentar se manter consciente desmaia devido a gravidade de seus ferimentos. Quando desperta não sabe onde está, mas é um lugar onde nunca esteve e nem poderia estar a não ser em sonhos e foi esta a conclusão que tomou, estava sonhando, encontrava-se num quarto com paredes de pedras e estilo que lhe lembrava do estilo da idade média que havia visto em filmes, e é neste quarto que ela conhece Ian, jovem aparentando ser mais velho que ela, mas era lindo.  Então após alguns fatos misteriosos, que fazia Sammy concluir cada vez mais que era um sonho, no decorrer de alguns dias ela curou-se dos ferimentos do atropelamento e também descobriu-se totalmente apaixonada por Ian, e eles partilhavam esse mesmo sentimento.
Após Sammy perceber que aquilo era mais que um sonho resolve partir em busca de respostas, queria saber o que a teria feito chegar ali e porque desde então vinha desenvolvendo alguns poderes misteriosos.
Ela descobriu ser uma invasora, mas como ela, todos naquela época não sabiam muito sobre os poderes de um invasor, a única coisa que Ian sabia era que ela corria perigo e ele queria protegê-la de qualquer forma, mas sabia que as forças que causavam o perigo eram mais fortes que eles, ou era o que ele pensava.
Bruxas eram os seres que desejavam Sammy e fariam de tudo para tê-la, atraindo-a até o castelo da bruxa que eles pensaram ser a única que existia desde a grande guerra entre os evoluídos, vampiros como Sammy chamava, e as bruxas. Ian era um evoluído, mas ele não gostava disto se considerava um monstro e não queria que Sammy descobrisse esse lado sombrio que ele teve que acabar revelando quando foram atacados por bruxas que queriam levar Sammy, no meio desta batalha Sammy descobriu ter sido marcada, ou seja, uma das bruxas estava a ponto de tomar seu corpo e eles teriam de recorrer a uma das outras bruxas para desfazer isto, com uma bruxa Habitando sua mente Sammy descobriu ser mais poderosa que tanto ela quanto Ian pensavam. Então eles começaram uma corrida contra o tempo, Sammy não teria muito tempo antes de ser totalmente dominada pela bruxa que precisava de seu corpo para retornar e obter sua vingança, no caminho para o castelo onde se encontrava a bruxa que eles pensaram ser capaz de desfazer o feitiço, Ian é gravemente ferido e está à beira da morte, Sammy sabe que tem que fazer algo, e que pode fazer, só não sabe o que.
Será que sammy venceria a bruxa e salvaria seu amado? Ambos ansiavam que sim, pois nenhum dos dois conseguiria viver sem o outro, o elo que os juntavam estava mais forte que nunca.
A história é envolvente e fascinante, a forma como é mostrada tanto sob a vista de Sammy quanto a de Ian, concede-nos um melhor entendimento, o que eles passam o que sofrem em busca de respostas e como descobrem estas mesmas respostas juntos.
Esta é uma das obras que com certeza faço questão de ter na minha prateleira reservada para os livros da nova literatura nacional.

Feita pelo Pedro Paulo
Back
to top