terça-feira, 31 de julho de 2012

[NOSSOS AUTORES], por Ju Costa

Amamos falar sobre literatura.
Todo o tipo de literatura, sim. Mas, nessa coluna, a preferência é literatura fresquinha saída do forno.
Então, gostaria de aprensentá-los à Daniel Monteiro.
Ele é - assim como boa parte de nós - um ávido leitor com incontroláveis pulsos de criatividade explodindo em seu jovem cérebro.
Nas palavras dele: "Comecei a escrever a partir de experiências próprias, relatando minhas viagens. As pessoas gostaram dos meus textos e então resolvi escrever 'profissionalmente'. Passei a publicar crônicas periodicamente na internet, e eventualmente escrevi um livro nesse estilo. Resolvi juntar o meu novo prazer de escrever com outro que sempre adorei, ficção, e agora estou escrevendo fantasia."

O trabalho de Daniel está presente na coletânea de contos policiais "Jogos Criminais 2" da Editora Andross.
Jogos Criminais - Volume IISinopse:  Quando a mente humana é usada para o mal, planos mirabolantes podem surgir com propósitos escusos, como chantagem, estelionato, fraude, espionagem, roubo... assassinato! Nas tramas deste novo volume de JOGOS CRIMINAIS, vários ângulos foram explorados, e acabaram por tornar a palavra “crime” uma das mais detestáveis e fascinantes do vocabulário humano. E quando se junta a essas tramas uma certa dose de manipulação, nem sempre o culpado acaba por pagar o que deveria. Aqui o mal assume várias identidades. Entretanto, continua arraigado nos corações humanos.

Compartilho com vocês um trecho de "Quando o Céu Desmoronou", obra em desenvolvimento do mencionado autor:

"Amadeu nunca esteve tão feliz. Ele sabia do que era capaz, tinha confiança, poderia atingir o céu se empenhasse esforço suficiente. Parou a alguns passos do desfiladeiro, o mesmo que sentou com Tiestes algum tempo atrás.  Amadeu era um garoto novo, mas tinha muitas memórias, todas retornando na sua cabeça naquele instante. Era um atropelo de saudades, mas não hesitou, ele sabia que conquistaria muito mais. Encheu o peito e deu alguns passos para trás, tomando distância. Correu o máximo que pôde. Sem saber explicar, ele sabia que voaria. Voaria por cima do mar, dos redemoinhos, dos homens-peixe.
Assim que pulou, ele sentiu a brisa do mar se transformando em mãos e braços, segurando ele. A natureza era muito mais forte, e tinha agarrado Amadeu de tal forma que ele não podia se soltar, puxando ele para baixo. Ele caiu.
Virou de costas para que a queda não doesse tanto, e viu o céu azul ficar escuro. Uma escuridão maior que a de seus olhos fechados."

Daniel compartilhou com a gente um pouco de sua experiência:

"Acredito que existem duas regras básicas para alguém que almeja ser escritor:
1- Escrever sobre o que gosta.
2- Escrever sobre o que conhece.
A regra 1 é muito simples, já a 2 pode não ser. Pesquisa se torna um aspecto tão importante quanto a escrita em si, para o profissionalismo de um autor. É assim que eu crio. Imagino o argumento principal, começo a questionar de diversos ângulos, para descobrir se a trama não é boba ou desconexa (muitas vezes o autor cria algo e não se dá conta que a história não possui verossimilhança). Feito isso, começo a pesquisar sobre o assunto. Ajuda a esclarecer dúvidas e é uma grande fonte de referências para a história. O que resta é apenas esforço do autor para trabalhar bem o texto de formar a prender o leitor, coisa que se adquire com a prática."

Pra quem ficou curioso com o teaser acima: A primeira parte do livro já está disponível para download em formato de .pdf, gratuitamente, no blog do Daniel.
Vamos acompanhar o colega escritor e divulgar novas informações à medida que elas forem surgindo.
E se preparem: "Quando o céu desmoronou" está chegando!

Back
to top