terça-feira, 1 de março de 2016

[RESENHA] O REI

Livro: O Rei
Série: Irmandade da Adaga Negra #12
Autora: J. R. Ward
Editora: Universo dos Livros

Resumo:
Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma furiosa guerra entre vampiros e seus assassinos. Há uma Irmandade secreta, sem igual, formada por guerreiros vampiros defensores de sua raça.
Depois de recusar seu trono por séculos, Wrath finalmente assumiu o manto de seu pai – com a ajuda de sua amada companheira. Mas a coroa pesa fortemente em sua cabeça. Enquanto a guerra com a Sociedade Redutora continua, e a ameaça vinda do Bando de Bastardos está prestes a acontecer, Wrath é forçado a fazer escolhas que colocam em risco tudo e a todos.
Beth Randall pensou que sabia em que estava se metendo quando ela se relacionou com o último vampiro puro-sangue no planeta: não seria nada fácil. Mas quando ela decide ter um filho, percebe que não está preparada para a resposta de Wrath – ou o afastamento que essa decisão criaria entre eles.
A questão é: o amor verdadeiro vencerá... ou será derrotado pelo passado sombrio?


Resenha:
Mais um livro da série mais perfeita de todas!!!! Sei, sei, sou muito suspeita para falar, mas poxa, a série é muito boa mesmo! Nesse livro nós voltamos as origens, ao primeiro casal da série, e devo dizer que adorei isso. Mas, precisava de um outro livro de um casal que já foi citado? Claro que sim! A Ward adora mexer com nossa cabeça, deixando pontas soltas aqui e ali para dar um gancho em suas histórias, e trabalhar com a dinâmica que existe dentro da mansão, e tinha tanta ponta solta que esse livro era extremamente necessário.
Nos últimos livros nos percebemos a dificuldade que o Wrath estava tendo em governar sua espécie, e nesse contexto um dos principais focos do livro é a politica da especie, nós entendemos um pouco mais sobre ela, e sobre o poder, que infelizmente, o conselho tem, e que prejudica, e muito, a já parca administração do Wrath. Não por ele não ter competência, mas nós sabemos, desde o primeiro livro, que o Wrath não queria ser rei, que ele não tinha ideia do que tava fazendo, e no decorrer da série, quando ele perdeu totalmente a visão, isso o marcou, muito negativamente.
Por outro lado temos a Beth, que após ver toda a alegria que uma criança trás para a vida das pessoas, e mesmo com todas as dificuldades que a especie tem, ela decide que quer ter um filho. O que causa uma briga daquelas entre o casal. O Wrath não aceita ter uma criança por isso por em risco a vida da Beth, alem de não desejar para sua prole, nem para ninguém, o a "maldição" que é ser o rei de uma especie que esta na beira da extinção, com uma guerra de séculos de duração, e uma guerra politica prestes a acontecer.
Paralelamente temos a história do outro Wrath, pai do atual rei, e vemos que nem tudo são flores para ele também, como o Wrath atual nos fazia pensar. Conflitos políticos, traição, guerra e tudo mais também aconteciam naquela época, e muito mais do que hoje, inclusive. Mas ambas são histórias de mudanças, onde conflitos importantes são resolvidos, e finalmente o Wrath, o atual, descobre como deve fazer as coisas funcionarem. 
Mas isso tudo se dá a melhor Shellan que um rei poderia ter. A Beth é fundamental para toda essa mudança, e o destino dos desejos deles já estava acontecendo, ambos queriam coisas opostas, mas já estavam encaminhados. 
Mas o livro é só politica? Não. Esse é um dos principais focos, tem bem menos cenas de luta que os outros, mas não deixa a desejar nas cenas de sexo e violência. Beeeeeeeem longe disso kkkk.
Outra coisa que gostei muito foi acompanhar mais a dinâmica da mansão, e todos os irmãos tem uma cena, ou pelo menos uma fala, no decorrer do livro. Diálogos mais reais e em abundancia nesse livro.
Foi bom a Ward ter cuidado de tantas postas soltas, ter dado um desfecho na historia das convulsões do John, por exemplo, mas ela abriu varias outras, com mais três historias paralelas acontecendo, fora a do pai do Wrath. Um livro que complementou os outros e abriu as portas para novos livros que viram pela frente. Super recomendo. Pra mim ele está no TOP5 da série! 

Back
to top