quinta-feira, 3 de março de 2016

ENTÃO EU ASSISTI... UM HOMEM ENTRE GIGANTES

Um Homem Entre Gigantes
Lançamento: 03/03/2016
Elenco: Will Smith, Alec Baldwin, Gugu Mbatha-Raw, David Morse, Paul Reiser
Diretor: Peter Landesman
Distribuidora: Sony Pictures
Nota: ★★★


Fora do grande circuito de filmes que concorreram por uma estatueta, Um Homem Entre Gigantes (título deus sabe como traduzido de Concussion – concussão, como é chamado um machucado de pancadas - no original) é um filme biografia que traz uma história curiosa e marcante na história do mais famoso esporte norte-americano. Trata-se da história de Ifeakandu Onyemalukwube, rebatizado de Bennet Omalu, que foi morar nos EUA após sua família fugir da guerra civil da Nigéria, um Neuropatologista – os caras que descobrem o que de errado tinha no seu cérebro quando você morre, ou quando você tem sorte, antes de você morrer – que em 2002 descobriu cientificamente que levar pancadas continuamente na cabeça pode te matar (o que, basicamente, é a tradução de metade do jogo de Futebol Americano). Bem, isso provavelmente não deveria ser uma grande surpresa, mas a grande sacada do filme – que retrata a caminhada de Omalu da descoberta do problema até os grandes desafios subsequentes que teve que enfrentar por conta disso – foi mostrar que, sim, o fato pareceu ser uma surpresa para a grande maior parte dos americanos que tanto adoravam o jogo.



O fato é: Futebol Americano é o esporte mais popular dos Estados Unidos. Mais que o baseball, que o basquete ou mesmo que a Beyoncé (Formation!). Tal qual o futebol brasileiro – às vezes mais que isso, visto que os valores movidos durante os campeonatos da NFL chegam ao nível de PIBs de alguns países médios – é um esporte que molda opinião pública, carreiras e vidas inteiras. E a descoberta de Omalu – e principalmente sua divulgação – podia criar um terremoto no domínio intocado dos gigantes desse esporte, que chegavam a gastar rios de dinheiro e influência pública e política para que o assunto fosse deixado em paz. O resultado? Uma história muito próxima da realidade, onde interesses econômicos, idolatria desvairada e ignorância pública se chocam contra um homem cujo único interesse – vindo de suas próprias palavras – ela dizer a verdade. A responsabilidade de um voto da profissão.


Sendo bem direto sobre o filme, ele é bom – em alguns momentos MUITO bom – mas peca por algumas inserções que, francamente, são confusas e sem muito significado, mas se explicam por se tratar de uma biografia extremamente atual. Em muito, seu relacionamento com a esposa Prema (Interpretada pela BELÍSSIMA Gugu Mbatha-Raw) às vezes não tem muitos motivos para aparecer em cena, onde suas aparições nada mais são do que um trampolim para Will Smith – como sempre. Will Smith, aliás, faz um trabalho bastante interessante no filme. Longe de se transformar radicalmente para viver o doutor da vida real, mas há uma tentativa sincera de passar o sentimento de se ver sozinho contra o mundo, além de um bom desenho do Omalu da vida real, em especial seu sotaque único (TELL. THE. TRUTH.), sendo inclusive comentário que um dos motivos do boicote de Will Smith ao Oscar seria por sua ausência inexplicável da lista de indicados (O filme saiu em 2015 nos EUA). Se tal crítica é aceitável, deixo para vocês, leitores. No entanto é inegável a boa presença do astro, contracenando bem com Alec Baldwin na busca pela divulgação da verdade sobre os perigos do esporte mais popular dos Estados Unidos. É, sem dúvida, seu carisma que leva o filme do começo ao fim sendo pouquíssimas as cenas onde ele não aparece em cena. Mesmo o final – a meu ver, ligeiramente anticlimático – não sofre tanto pelo esforço do ator.


Um Homem Entre Gigantes certamente não vai ser "o filme das férias", mas apresenta uma história interessante, personagens curiosos e uma boa alternativa para quem quer ver algo um pouco diferente do mar de blockbusters explosivos que estão estreando por aí, contando com a inusitada presença da boa atuação de Will Smith e companhia – dessa vez sem disparar nenhum laser e sem combater nenhum alienígena. Afinal, existem várias maneiras de ser um herói no mundo real. Recomendo o filme.

Veja o trailer: 

Back
to top