quinta-feira, 10 de outubro de 2013

[ENTREVISTA] Entrevista com a nossa autora parceira Mari Scotti

Bem... Ja fizemos um post super bacana falando um pouco da Mari Scotti... Agora chegou a vez de publicarmos a entrevista que fizemos com ela...
A Mari foi super bacana e respondeu tudinho com muita paciência!!!




Confira a entrevista:



   Como se dá o processo de criação de suas histórias? De onde veio a inspiração para escrever como exemplo o livro Insônia?
Não sei explicar como é meu processo de criação, pois por enquanto ele é quase instintivo. A ideia vem, eu a desenvolvo descobrindo melhor os “porquês” e quando tenho todas as respostas, começo a escrever. Muitos autores são organizados, fazem cronograma de capítulos, eu até fiz um cronograma para as minhas séries, mas os personagens me dominam quase sempre e preciso refazer as cenas e reestruturar o cronograma. Rs Talvez um dia aprenda a dominá-los e não ser dominada haha.
Insônia e Híbrida são livros que comecei como fanfic e quando decidi que escreveria fanfic para descobrir como os leitores reagiriam as minhas ideias e ao meu estilo de escrita, começaram a pipocar histórias na minha cabeça. Insônia quis escrever para um amigo contador de histórias, era para ser um romance romântico, onde o protagonista contava histórias fofas para a Suzanna, mas achei fraco e quando dei por mim, eles eram anjos, caídos, demônios e toda a trama mudou. Já Híbrida surgiu porque fiquei indignada com o final de Amanhecer (Twilight). Não concebia a ideia da Reneesme existir e ainda ficar com o Jacob. Me questionei por semanas sobre como uma vampira viveria entre os lobisomens, qual seria a reação dos Quileutes, como seria essa convivência... Daí surgiu a Ellene e toda a trama de Híbrida. A série não tem nada a ver com Crepúsculo, apenas a ideia começou porque eu não suportava a Nessie, ainda não suporto. kkkk

   O que as suas personagens, as mocinhas, das suas historias tem em comum com a "Mari Scotti"?
Essa pergunta me fez pensar diretamente na Ellene, protagonista de Híbrida kkk:
Ellene: O pavor de insetos, principalmente baratas. Acho que devo ter insetofobia, se é que isso existe, porque seja qual for o inseto, se ele voar ou for cascudo, eu tenho surtos de pavor e histeria. A Ellene é toda poderosa e morre de medo também. Achei interessante deixá-la o mais humana possível. O convívio familiar deles também é bem próximo do que vivo em minha casa. Somos muito unidos, assim como a família dela.
Suzanna: Apesar de a Suzanna verbalizar que é contra o amor, ela é totalmente sonhadora, vive em um mundo encantado onde sonha com seu primeiro beijo. Acho que sou assim, sonhadora, apesar de me focar bastante na realidade e ter os pés firmes no chão. Ela também é inocente, inocente até demais, mas isso é porque meu parâmetro de adolescência é a minha própria vida. Eu só descobri o que era desejo depois que comecei a trabalhar e a conviver com pessoas que não eram religiosas. Continuo certinha, mas não tão inocente com o que acontece ao meu redor.

      Qual foi seu livro preferido, quando era mais jovem?
A Ladeira da Saudade de Ganymédes José e a Série os Karas do Pedro Bandeira.

      Quando você realmente se viu como uma escritora?
Quando pediram meu autografo a primeira vez. Pensei: Caracaaaaaaaaaaaa! Rsrsrs Mas ainda preciso aprender muitooooooo para chegar ao patamar que desejo como escritora.

      Qual é a sua frase, ou citação, preferida dos seus livros?
Nunca pensei nisso, mas assim que li a pergunta, uma das frases surgiu na minha cabeça. Gosto das cenas engraçadas, então não estranhe que não é nada filosófico:
Híbrida: “Você tem um milhão de poderes e não consegue matar uma barata? Achei que fossem vampiros”!
Insônia: “Não acreditei no que estava vendo, as casas ficavam cada vez menores abaixo de nós, não havia vozes ou cheiros, nenhum som além do vento sendo cortado por duas asas enormes que batiam no ar, elas saíam das costas nuas de Arthur. Meu peito travou, não conseguia respirar. Estávamos voando”.

     Quando escreve já sabe como a historia será, tipo o começo, meio e fim, logo de cara da obra ou o enredo vai surgindo conforme você vai escrevendo?
Sempre tenho trama principal pronta quando começo a escrever, mas em Insônia já contei que tudo mudou conforme escrevia. De um romance bobinho, tornou-se uma história sobrenatural. O miolo do livro sempre se faz sozinho, não consigo seguir um roteiro, mas a ideia principal, os “porquês” não mudam, pois são a base das duas tramas (Insônia e Híbrida).

       Qual a dica para quem esta querendo ser escritor aqui no Brasil?
O principal é não perder a humildade. Ninguém chega a lugar nenhum sendo arrogante ou invejando quem está conseguindo ou conseguiu. Ser persistente e não desanimar com “nãos”. Escutamos muitos nãos, a vida é cheia deles, não apenas na literatura, e se não soubermos ultrapassar essas barreiras ou a insegurança que surge depois de um “não”, morremos na praia. Persistência é a base de tudo.
Em paralelo não deixe de estudar, de ler, escrever. Quanto mais ler, maior seu conhecimento e quanto mais escrever, melhor se torna o seu texto, amadurecemos assim. Sucesso pessoal!

       Quais são os seus escritores/poetas preferidos?
Nacionais: Denise Flaibam: Série Os Mistérios de Warthia; Maribel Azevedo: Amor no Ninho e Amor Inteiro; Babi Dewet: Sábado à Noite 1 e 2; Lu Piras: Equinócio e Polares.

Estrangeiros: Stephenie Meyer, Cassandra Clare, Verônica Roth, Richelle Meade.São muitos. rsrs

       Qual é seu projeto para o ano de 2014?
Em literatura: Publicar o livro 2 das duas séries. Tenho dois romances românticos iniciados que quero finalizar o mais breve possível e também a série de contos que lançarei apenas pela Amazon: Pecados Capitais. O primeiro já está disponível e chama Ira.
Pessoal: Voltar a cantar. Sinto muitaaaa falta da música na minha vida.

       Que outro trabalho você faz, além de escrever livros?
Trabalho em uma empresa que fabrica e da manutenção em equipamentos de lotéricas, bancos, escolas, etc. Cobro atendimento técnico. Até gosto e já estou lá há quase 13 anos.

Depoimento da Mari Scotti:
Obrigada pela entrevista Clube do Livro PE, adorei! Desejo todo sucesso ao blog e aos futuros escritores nacionais! Vamos nos apoiar, pois assim cresceremos todos juntos!

Beijo, Mari Scotti



Back
to top