sexta-feira, 28 de junho de 2013

[RESENHA] A Culpa é das Estrelas

Livro: A Culpa é das Estrelas
Autor: John Green
Editora: Intrínseca

Sinopse: A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas.







Resenha:  Bem, não deve ser novidade para ninguém que A Culpa é das Estrelas anda sendo o livro mais comentado do momento, e como faço com a maioria dos livros que eu leio, procuro saber o mínimo sobre ele, às vezes nem leio a sinopse, e foi o que aconteceu com este livro. Apesar de sempre ouvir uns e outros comentarem sobre ele, de saber que na história havia uma menina com câncer, eu não sabia do que realmente se tratava, além do fato de ter uma menina com câncer, até começar a lê-lo. 

Hazel Grace é uma garota de 16 anos que participa de um grupo de apoio para crianças com câncer, e está neste grupo por ser vítima de um câncer na tireóide com metástase nos pulmões. Depois de descobrir a doença, Hazel dedica boa parte de seus dias para ler e reler o mesmo livro, Uma aflição imperial, e assistir America's Next Top Model, e só frequenta as reuniões do grupo por pressão de sua mãe, que acha que ela está se deprimindo passando tanto tempo se isolando das pessoas. Eis que um dia, em uma das reuniões do grupo de apoio, algo diferente aconteceu com Hazel, e a sua vida estava prestes a tomar um novo rumo. Augustus Waters foi vítima do osteosarcoma, e para se livrar do câncer, acaba perdendo uma de suas pernas. Por intermédio de seu amigo Isaac, Gus resolve ir a uma das reuniões no sagrado coração de Jesus, onde o grupo estava reunido dividindo as suas experiências. 

Algo em Hazel logo chamou a atenção de Gus, que na primeira oportunidade, fez a ela um convite inusitado. Hazel e Gus vivem uma história de amor onde cada dia é uma vitória, e ao contrário dos casais com que estamos acostumados, eles tem uma forma muito diferente de mostrar o seu amor. 

“Estou apaixonado por você e não quero me negar o simples prazer de compartilhar algo verdadeiro. Estou apaixonado por você, e sei que o amor é apenas um grito no vácuo, e que o esquecimento é inevitável, e que estamos todos condenados ao fim, e que haverá um dia em que tudo que fizemos voltará ao pó, e sei que o Sol vai engolir a Única Terra que podemos chamar de nossa, e eu estou apaixonado por você.” Pag 142

Hazel tem medo de fazer com que Gus fique muito próximo a ela por se considerar uma granada, prestes a explodir e deixar que os fragmentos atinjam as pessoas mais próximas, ela não tem medo de morrer por ela, mas sim, pela sua mãe, pelo seu pai e agora, por Gus.

Em um certo momento do livro, eu pensei em parar a leitura, simplesmente pelo fato de ter perdido as pessoas mais importantes da minha vida para o câncer, eu ficava pensando que não seria bom ler sobre algo que me abala tanto, mas eu estava errada. Quando eu pensei em desistir, a curiosidade me fez ir mais além, e eu devo lembrar de agradecê-la de alguma forma daqui para a frente. Como John Green disse em seu livro, o câncer não é o vilão, afinal de contas, assim como o paciente infectado, ele está lutando pela sua sobrevivência. 


“… Às vezes, um livro enche você de um estranho fervor religioso, e você se convence de que esse mundo despedaçado só vai se tornar inteiro de novo a menos que, até que, todos os seres humanos o leiam…”                                                                       
— A Culpa é das Estrelas

Feito por Lara Bertrand

Back
to top