sábado, 9 de março de 2013

[RESENHA] Eu Sou o Número Quatro - Os Legados de Lorien


Livro: Eu Sou o Número Quatro
Série: Os Legados de Lorien
Autor(a): Pittacus Lore
Editora: Intrínseca

Sinopse: "Nove de nós vieram para cá. Somos parecidos com vocês. Falamos como vocês. Vivemos entre vocês. Mas não somos vocês. Temos poderes que vocês apenas sonham ter. Somos mais fortes e mais rápidos que qualquer coisa que já viram. Somos os super-heróis que vocês idolatram nos filmes e nos quadrinhos — mas somos reais. Nosso plano era crescer, treinar, ser mais poderosos e nos tornar apenas um, e então combatê-los. Mas eles nos encontraram antes. E começaram a nos caçar. Agora, todos nós estamos fugindo. O Número Um foi capturado na Malásia. O Número Dois, na Inglaterra. E o Número Três, no Quênia. Eu sou o Número Quatro. Eu sou o próximo."

Resenha: O livro conta a história de John, também conhecido como número quatro, deixou o planeta onde nasceu quando ainda era muito novo, portanto, não lembra os acontecimentos do dia em que saiu de Lorien. Além dele, mais oito crianças deixaram o planeta quando ele foi invadido pelos Morgadorianos, cada um representando um número. Durante os anos em que ele passa vivendo na Terra, tem de se mudar constantemente para se esconder dos Morgadorianos, se camuflando no meio dos humanos. Com a morte dos números um, dois e três, tornando ele a próxima vítima. No meio de tantas mudanças e fugas, ele conhece Sarah, uma ex líder de torcida, pela qual acaba se apaixonando. Os dois vivem uma espécie de triângulo amoroso, já que Sarah se vê meio dividida entre John e Mark, seu ex namorado. John sempre teve a curiosidade de saber o que aconteceu em Lorien, mas por conta da idade que tinha quando deixou Lorien, poucas são as coisas que ele lembra. Com a chegada de seu legado (que são os "super poderes" que ele adquire quando é chegada a hora) ele acaba sonhando com o dia em que deixou o planeta, e pouco a pouco, ele vai se lembrando, vendo coisas que nem mesmo Henri (o seu Cêpan, seu protetor) acreditava.

Aos que leram o livro e ainda não viram o filme, não se assustem com as mudanças, e aos que viram o filme e ainda não leram o livro, mal sabem o que estão perdendo, é uma boa leitura, embora seja meio previsível. Apesar de ser voltado pro público adolescente, explorando bastante aquela coisa da primeira paixão, dos anos escolares e tal, não deixa de mostrar interesse mesmo nos mais velhos. 

Nota:

Resenha por Lara Bertrand.
Back
to top