terça-feira, 18 de dezembro de 2012

[DICA DE LEITURA]: ''As Vantagens de Ser Invisível''

 Acho que para iniciar uma nova coluna com um tema deste, devemos começar com a dica de um livro que de fato foi marcante ou até mesmo que é o seu favorito. Quem me conhece, sabe que eu tive grande paixão pelo livro ''As Vantagens de Ser Invisível''. E antes de começar a falar sobre o mesmo, dá a dica e o motivo da leitura, quero falar de algumas das coisas que me fizeram ler.

1. Conheci o livro graças a seu filme que teve sua estreia recentemente. 
2. A Emma Watson estava no filme.
3. O livro é formado por Cartas.
4. Eu ainda não assisti o filme...  

Eu via alguns posts no facebook de divulgação do filme e me sentia tão bem ao ler cada frase ou carta escrita pelo Charlie (personagem principal). E o motivo maior da leitura foi o fato de eu ter me identificado com as coisas que ele escrevia, coisas que antes mesmo de começar a leitura, me marcaram.



Sabe quando você se sente absorvido e concentrado? De modo que toda a sua atenção é sugada para algum ponto em sua mente e todos ao seu redor não passam de uma mancha diante dos olhos? É assim que eu e a maioria das pessoas que leram, se sentiram. Um livro que se torna marcante para as pessoas que realmente se identificam com o tema. E é por isto que resolvi fazer dele a minha primeira indicação aqui. Não sei todos vão se sentir INFINITOS ao ler, mas fica a dica para todos aqueles que querem descobrir as vantagens de ser invisível. 




O Livro:




Livro: As Vantagens de Ser Invisível
Autor(a): Stephen Chbosky
Editora: Rocco

Sinopse:

Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, o livro reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe - a não ser pelo que ele conta ao amigo nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela.
As dificuldades do ambiente escolar, muitas vezes ameaçador, as descobertas dos primeiros encontros amorosos, os dramas familiares, as festas alucinantes e a eterna vontade de se sentir "infinito" ao lado dos amigos são temas que enchem de alegria e angústia a cabeça do protagonista em fase de amadurecimento. Stephen Chbosky capta com emoção esse vaivém dos sentidos e dos sentimentos e constrói uma narrativa vigorosa costurada pelas cartas de Charlie endereçadas a um amigo que não se sabe se real ou imaginário.
Íntimas, hilariantes, às vezes devastadoras, as cartas mostram um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo.


Por: Claudio Silva



Back
to top