segunda-feira, 10 de outubro de 2016

[CRÍTICA] KUBO E AS CORDAS MÁGICAS

Kubo e As Cordas Mágicas
Lançamento: 13/10/2016
Elenco: Charlize Theron, Ralph Fiennes, Art Parkinson, Rooney Mara, Matthew McConaughey
Diretor: Travis Knight
Distribuidora: Universal Pictures
Nota: ★★★★★
Crítico: Ingrid Silva

"Se quiser piscar, pisque agora". Este é um pedido feito no início do filme Kubo e As Cordas Mágicas, onde nosso protagonista, Kubo, é um menino que tem um olho só e se reveza entre cuidar de sua mãe e contar histórias incríveis com origamis através de mágica. Até o dia em que ele precisa fugir para encontrar a armadura de seu pai, que é o maior guerreiro samurai que o mundo já conheceu. Com a armadura, Kubo irá buscar forças para lutar contra o vingativo Rei Lua e as Irmãs Gêmeas e assim, desvendar o mistério que ronda seu legado e o destino de sua família.



Kubo e As Cordas Mágicas é lindo, mágico e tem tudo para concorrer ao Oscar. Feito inteiramente em stop motion, o filme inteiro transpira a fantasia japonesa, talvez algo digno de "A Aventura de Chihiro", de Miyazaki. Além disso, o filme tem muito a ver com família, com um toque folclórico e ao mesmo tempo emocional, e também com muita magia que fica por conta de Kubo, através da contação de histórias com o uso de origamis e seu shamisen (instrumento musical de cordas japonês) mágico. Estas histórias são transmitidas para Kubo através de sua mãe em momentos de lucidez, já que ela está constantemente em transe. 



O toque de humor do filme fica por conta da Macaca, que era o amuleto da sorte de Kubo e que sua mãe trouxe à vida, e o Besouro, um guerreiro com ares de Don Quixote e que sofre de amnésia. Entre muitos efeitos especiais e a música japonesa envolvente, vemos a construção de um laço de amizade forte e ao mesmo tempo cômico. A Macaca se mostra o tempo todo honesta em relação às realidades da vida, sempre mostrando a Kubo que a vida não é um mar de rosas, e ao mesmo tempo demonstra aquela preocupação e carinho de uma mãe. Já o Besouro fica o tempo inteiro alfinetando a Macaca, e sua ilusão de otimismo junto com a redescoberta de suas origens é muito engraçado.

Os elementos fundamentais desta história original são o amor pela cultura e tradição japonesas, um menino que se torna herói, uma saga repleta de humor e ação junto com um toque de suspense, tudo contado em uma mistura de cores e sons que encanta e te prende do início ao fim. "Não pisque", é o que o Kubo sempre pede antes de iniciar suas histórias, mas quem consegue piscar diante de tanta magia? Magia essa que encantará crianças e adultos no cinema. Preparem-se para embarcar com Kubo, o Besouro e a Macaca em uma aventura fascinante. E lembrem-se de não piscar até o fim da história. 

Veja o trailer abaixo: 

Back
to top