terça-feira, 3 de março de 2015

[RESENHA] AS ESTRANHAS E BELAS MÁGOAS DE AVA LAVENDER

Livro: As estranhas e belas mágoas de Ava Lavender
Autora: Leslye Walton
Editora: Nova Conceito

Resumo: As gerações da família Roux aprenderam essa lição da maneira mais difícil. Os amores tolos parecem, de fato, ser transmitidos por herança aos membros da família, o que determina um destino ameaçador para os descendentes mais jovens: os gêmeos Ava e Henry Lavender. Henry passou boa parte de sua mocidade sem falar, enquanto Ava que em todos os outros aspectos parece ser uma jovem normal nasceu com asas de pássaro. Tentando compreender sua constituição tão peculiar e, ao mesmo tempo, desejando ardentemente se adaptar aos seus pares, a jovem Ava, aos 16 anos, decide revolver o passado de sua família e se aventura em um mundo muito maior, despreparada para o que ela iria descobrir e ingênua diante dos motivos distorcidos das demais pessoas. Pessoas como Nathaniel Sorrows, que confunde Ava com um anjo e cuja obsessão por ela cresce mais e mais até a noite da celebração do solstício de verão. Nessa noite, os céus se abrem, a chuva e as penas enchem o ar, enquanto a jornada de Ava e a saga de sua família caminham para um desenlace sombrio e emocionante.



Resenha: 
Este romance de estréia da autora vem nos contar uma história sobre a família de Ava Lavender e todos os seus infortúnios sofridos ao longo de várias gerações, grande parte deles graças ao Amor.
A história toda é permeada por elementos fantásticos, então quando for ler já esteja com a mente aberta,caso contrário será incapaz de aproveitar a trama. 
Ava Lavender se vê apenas como uma menina, com o pequeno detalhe de ter nascido com asas. Ninguém sabe bem como nem o motivo, os médicos não conseguem entender, os religiosos acreditam seu um milagre, e alguns acreditam que ela é um anjo, isto é o suficiente para a levar à loucura.
Ava tem um irmão gêmeo, Henry, que em momento algum é rotulado com algum distúrbio, mas pela descrição do livro, podemos inferir que Henry é autista (conclusão pessoal já que não se afirma isso no livro). Não se se a conclusão que cheguei foi correta, mas se foi achei interessante a autora não ter usado este termo, acredito que não quis categorizá-lo propositalmente.
Para a família de Ava, Henry só gosta de falar quando vale a pena, e não há muitas coisas que valham a pena serem ditas.
Gostei muito do livro, com toda certeza recomendo, mas achei que a autora teve mais sucesso em nos encantar com a família toda e sua trajetória do que com a protagonista em si.
Basicamente metade do livro é para nos contar sobre todos os antepassados de Ava, e somente após essa metade é que passamos a ter mais contato com a menina com asas. Isso não é exatamente ruim, visto que eu me apaixonei pela família, mas o fato é que muitas vezes eu estava bem mais interessadao nos outros membros da família do que em Ava Lavender. Em suma é um bom livro, com uma história interessante  e super encantadora que prende o leitor.

Back
to top