terça-feira, 27 de maio de 2014

[RESENHA] A ESCOLHA

Livro: A Escolha

Série: Trilogia A Seleção
Autora: Kiera Cass
Editora: Seguinte


Resumo: A Seleção mudou a vida de trinta e cinco meninas para sempre. E agora, chegou a hora de uma ser escolhida. America nunca sonhou que iria encontrar-se em qualquer lugar perto da coroa ou do coração do Príncipe Maxon. Com o fim do concurso cada vez mais próximo e as ameaças rebeldes ao palácio ainda mais devastadoras, ela se dá conta de que tudo o que esta em risco e do quanto precisará lutar para alcançar o futuro que deseja. América já fez sua escolha, mas ainda há muitas outras em jogo... Aspen, seu antigo namorado, terá de encarar um futuro longe dela. E Maxon precisa ter certeza dos sentimentos da garota antes de tomar a grande decisão, ou acabará escolhendo outra concorrente.


Resenha:
Finalmente saiu "A Escolha", já não aguentava mais esperar para saber o final da história. Maxon e América souberam como me tirar do sério durante diversos capítulos do livro, vi uma jovem decidida a lutar pelo homem que ama e um príncipe mais decidido, entretanto a relação deles continua entre altos e baixos. Eu gostei muito do livro, o enredo ficou bom e o foco com certeza foi o romance, mas na minha opinião a Kiera pecou ao não explicar situações que ficaram em aberto dos outros livros como: quem era o líder dos sulistas, durante os três livros eles combateram os rebeldes em busca de paz do reino, mas deram poucos detalhes sobre mais motivos, esperava que tivesse algo obscuro no passado do rei; se tinha algum rebelde sulista infiltrado no castelo; qual a doença da rainha; qual foi a aliança que se estabeleceu com a Itália, o surgimento da menina da frança para atormentar América, esses são alguns dos detalhes que dei falta e que acredito que poderiam ter sido explorados para que o livro ficasse sem esses buracos.

As ultimas candidatas da seleção me surpreenderam muito nesse livro, minha opinião sobre algumas delas mudou conforme a autora mostrou o lado humano de cada uma, as incertezas, o medo de não ser escolhida. No começo os ânimos de todas estavam exaltados e as garotas estavam colocando todas as garras de fora por descobrirem o que Maxon já fez com na companhia das garotas que ainda restavam, isso gerava insegurança para todas, que ainda tinham esperanças de ser a futura rainha de Illéia. Foi a rainha Amberly que ao conversar com as candidatas explicou para elas que no futuro elas seriam amigas, que elas não deveriam encarar a seleção como uma guerra, pois seria com essas meninas que passaram tanto tempo juntas a escolhida no castelo que poderiam tirar suas dúvidas, conversar, visitar, que a seleção era muito mais do que só vencer, ela marcaria para sempre a vida delas.

No segundo livro eu tive sérios problemas com as atitudes da América, nesse livro não foi muito diferente, me irritei muito com ela, mas o príncipe Maxon também me tirou do sério, ele não tomava uma decisão, e isso me deixava aflito, até o momento em que consegui ver o que havia dentro dele e compreender que ele estava indeciso, confuso, e sob muita pressão para decidir quem seria a sua futura esposa. Desde o primeiro momento, lá no primeiro livro, foi notável que América se destacou de imediato aos olhos do príncipe e ele sempre tentou conquistá-la, e ela nunca se decidia, cada vez mais gostava de Maxon, mas ainda tinha Aspen em seu caminho. Ele tinha uma escolha a fazer e não podia deixar as outras garotas irem embora sem dar uma chance para conhecê-las melhor, logo ele começou a dividir seu tempo para conhecer as outras e quanto mais o número de garotas no palácio reduzia ele ficava mais intimo das garotas, e os laços entre ele e as garotas se estreitavam.

De inicio eu achei Maxon um tanto galinha, senti muita raiva quando ele começou a sair e beijar todas as garotas, coitada da America, mesmo compreendendo que ele precisava dar oportunidade para outras garotas não concordo com todas atitudes dele. Uma mudança na atitude dele foi a coragem que ele teve, sempre com o apoio da América, para buscar informações sobre o povo além das que eram fornecidas pelo seu pai, em alguns momentos ele enfrentou seu pai, ele demonstrou ser forte e justo, qualidades que se procura no futuro rei. No quesito romance o casal Maxon e América foi puro amor, e revelou um lado que eu não conhecia do príncipe e adorei! Desde o começo a escolha dele era América, ela que sempre pediu para esperar ela decidir. A escolha é um livro muito romântico que devorei em dois dias, queria descobrir quem América iria escolher, e estava morrendo de medo de ler algum spoiler que estragasse a leitura. 
Maxon me surpreendeu no quesito romance através de cartas ele expressou todo seu amor por América, gente foram as cartas mais lindas de amor! *-* Ele mostrou seu lado mais carinhoso, seu lado sensível, e o quanto amadureceu pela influencia de América, e ela também amadureceu muito com influência dele.

Eu recomendo a leitura de toda trilogia, os livros são bem escritos, e apesar das faltas e da falta de freio nos últimos capítulos, essa é uma história maravilhosa de se acompanhar. A Escolha é muito mais que um romance sobre princesas e um príncipe, são personagens que se tornaram parte de mim durante todo o percurso, vivi, senti, suspirei juntamente com cada uma!

Leia as resenhas dos livros anteriores:
Back
to top