segunda-feira, 12 de agosto de 2013

[RESENHA] 72 Horas Para Morrer (Book Tour)

Livro: 72 Horas Para Morrer
Autor: Ricardo Ragazzo
Editora: Novo Século

Sinopse: Pior do que conhecer um Serial Killer, é um Serial Killer conhecer você! “O Carro pertence à sua namorada.” Com essas palavras, Júlio Fontana, delegado da pacata cidade de Novo Salto, tem a vida transformada em um inferno. Pessoas próximas começam a ser brutalmente assassinadas, como parte de uma fria e sórdida vingança contra ele. Agora, Júlio terá que descobrir a identidade do responsável por esses crimes bárbaros, antes que sua única filha se torne o próximo nome riscado da lista. 72 Horas para Morrer é uma corrida frenética contra o tempo, que prenderá o leitor do início ao fim.






Resenha:

Primeiro gostaria de deixar bem claro que se você tem um estômago fraco e não aguenta ler coisas que contenham muita violência e sangue, não recomendo este livro. 72 horas para morrer começa com Agatha, que até então, não havia sido identificada, pouco depois, no capítulo seguinte, temos a informação de que ela é nada mais nada menos do que a namorada do delegado da cidade de Novo Salto, Júlio Fontana, mas isto não chega a ser nem um pouco chocante comparado ao que estava prestes a acontecer. Da pior maneira possível, Júlio descobre que a sua namorada está morta, e para a sua infelicidade, ela dirigia até Novo Salto quando foi levada de seu carro, e naquele dia, contaria a Júlio que ele seria pai outra vez. A imagem de Agatha morta de forma cruel e o modo que o seu filho foi posto junto à mãe o deixou horrorizado, temendo pela vida de sua filha, Laura. 

Ao tempo que isso acontecia, Miguel, um antigo amigo de Júlio sai da cadeia e retorna à Novo Salto, onde recebe abrigo do Padre Paulo, também amigo de infância do delegado. Miguel foi condenado pela morte de Débora, o primeiro amor de Júlio, e sabendo que Paulo o acolhera em sua casa, não pôde acreditar. Obviamente, ele começa a desconfiar de Miguel, achando que ele foi o responsável pela morte de Agatha, ainda mais depois que este se aproximou de sua filha, Laura, mas ele mal podia imaginar o que estava para a acontecer.

Confesso que o final me impressionou e decepcionou, por vários motivos, mas acredito que tenha sido uma ótima jogada, faz com que o livro não se torne um clichê, sendo quase impossível prever o que acontece no final.

Definitivamente, 72 horas para morrer é um livro que te prende do inicio ao fim, apesar de Laura ser um saco, você fica torcendo a cada página por Júlio, para que ele consiga deixar a sua filha em segurança. Pra mim, uma das cenas mais chocantes é a que descreve a morte de Agatha e da mãe e do filho na sacristia, a forma como o Ricardo descreve as mortes é incrível, é como se eu pudesse realmente ver aquilo. Acho que posso dizer sem medo que foi um dos melhores livros que eu li em 2013. 

Agradeço a oportunidade de participar do Book Tour, este livro é a prova de que a literatura nacional merece mais atenção!
Back
to top